O envelhecimento da população é um dos grandes desafios para as próximas décadas. Com o avanço dos anos, observa-se uma diminuição da massa muscular e da velocidade de contração muscular, reduzindo também a massa óssea, aumentando com isso o risco de fraturas.

A intervenção fisioterapêutica específica dessa faixa etária, usufrui de aplicação de exercícios físicos gerando efeitos positivos na saúde do idoso e sua qualidade de vida, como a potencialização das capacidades físicas: força, flexibilidade, equilíbrio, potência aeróbia e outros, além de minimizar o risco de quedas e acidentes.